Texto

Texto

Aviso

Aviso

Herzlich Willkommen!

A Pesquisa

 A partir do encontro das informações em sites, blogs e livros, fez-se necessário confrontar os dados entre si. Para isso, contei com dados presentes no histórico da imigração e com depoimentos de algumas testemunhas e filhos do casal José Francisco Pitz e Virgínia Schmitz Pitz, que ouviram as histórias contadas pelos dois, de modo a comprovar a compatibilidade das informações.

As informações aqui apresentadas advém de pesquisas já realizadas por outras pessoas e grupos familiares in loco, ou seja, em igrejas, cartórios e "nas raízes" na atual Alemanha. Nesta parte do trabalho agradeço especialmente às familias Prim, Kuhnen, Schmitz, Pitz e ao site Genealogia Sul Brasileira que empreenderam pesquisas da genealogia dos seus e, com as informações por eles prestadas em seus sites e blogs, consegui realizar uma "peneira" e  reunir somente a parte que cabe à familia de José Francisco e Virgínia.
Estas informações são apenas a reunião destes dados com fins de informação.


A respeito de nomes e sobrenomes

Alguns nomes de imigrantes, dependendo da fonte, estão trocados. Por exemplo, numa fonte a esposa de um imigrante se denominava "A". Em outra, a esposa deste mesmo imigrante se denominava "A", porém com outra grafia. E em outra fonte, a esposa do mesmo denominava-se "B". Para localizar o nome verdadeiro destas pessoas, procurei o maior número de informações que convergiam entre si. Como sempre, estas informações estão presentes em sites confiáveis. Os não-confiáveis foram prontamente descartados da bibliografia.

Também convém ressaltar, que houve mudança na grafia dos sobrenomes entre os filhos de um mesmo casal. Por exemplo, os filhos do casal "Kuhnen". Uns foram registrados com sobrenome "Kuhn"; outros estão registrados com sobrenome "Kuhnen". E assim repete-se nas outras familias. Mas, no geral, predomina e conta a grafia correta do sobrenome do pai. Acredita-se que foram erros cometidos pelos próprios escrivães em suas devidas épocas de registro. Há datas de nascimento, também, que não são as verdadeiras. Em alguns casos, apenas está colocada a data do registro no cartório ou a suposta data fornecida pelo pai da criança (o pai sempre era encarregado de registrar os filhos em cartório). Há casos em que os pais conseguiam registrar até três filhos juntos, cerca de 3 meses, mais ou menos, após o nascimento do último filho, devido às dificuldades de acessibilidade e às longas distâncias entre os cartórios e suas residências.
Com relação aos dados de cartório: antes do surgimento dos cartórios, as datas e grafias de nomes nos registros de batismo, casamento e óbito nas igrejas contam como registros fiéis.

Alguns dados de nascimento, morte, nome dos pais e local de origem de algumas pessoas não foram localizadas por falta de documentos, tanto no Brasil como na atual Alemanha. Por este motivo, por exemplo, os pais de Katharina Scheid e de Matthias Schmitz, pais de Johann Joseph Schmitz (avô paterno de Virgínia e tio avô de José Francisco) e de Margaretha (Margarida) Schmitz (tia avó de Virgínia e avó de José Francisco), também não foram localizados.
Quanto às datas de nascimento e morte de alguns descendentes destes casais também não foram localizadas devido a confusão existente em registros da época ou da ação do próprio tempo, que apagou as informações escritas com tinta nas folhas de papel.

Outras informações que não se sabiam antes da organização deste blog, correspondem aos antecessores de Virginia Schmitz. Por conta de pesquisa realizada pelo professor e historiador Ivo Pitz, sabe-se apenas as origens de José Francisco. Hoje, na genealogia apresentada neste blog, conheceremos os antecessores de Virgínia, e também, da mãe de José Francisco, Luisa (Elisa) Gesser.

Apresento, também, algumas imagens, as quais considero importantes para uma melhor visualização de como são hoje em dia os locais citados neste blog - tanto no Brasil como na Alemanha - e fotografias pertencentes ao arquivo pessoal de alguns descendentes do casal. Nisto agradeço à minha prima Bárbara Hoffmann (filha de Nicete Filomena Pitz Hoffmann, uma das filhas do casal), à Dilma Inês Pitz Junckes (minha tia e filha do casal), à Nelma Isabel Pitz (minha mãe e filha do casal) e à Felomena Amaral (filha de Zacarias Jönck, irmão de Gregório Jönck que casou-se com Bertolina Pitz - minha tia-avó), que me ajudaram na pesquisa, seleção das fotografias e na catalogação com nomes, datas e localização .


Inspire-se!

As informações aqui prestadas são um convite à viajar no tempo e a conhecer um pouco mais a história de algumas das familias pioneiras - os primeiros imigrantes - que fundaram a primeira colônia alemã de Santa Catarina, São Pedro de Alcântara: a história destas famílias influenciam quem somos hoje. Acredita-se que as pessoas não carregam apenas informações genéticas e biológicas, mas também traços de personalidade e talentos de seus antecessores - informações fortemente marcadas até a terceira geração. Estes dados, mesmo após às misturas com outras descendências (lusas, espanholas, italianas) e influências do ambiente social, também podem "vir com força" até mesmo à quinta geração!

Com quem será que somos mais parecidos? 

De quem herdamos nossos talentos, nossa personalidade?


Ouvindo as histórias que minha mãe conta desde pequena, com o tempo me senti inspirada a investigar e a conhecer mais sobre meus antepassados, e sobre a história deles em terras brasileiras. 
Para isso colhi estas informações com carinho e dedicação, e neste blog apresento à meus parentes, agregados da familia e interessados tudo aquilo que "descobri",  de modo a informá-los e a "provocá-los" a dar continuidade na procura de mais informações. Com este trabalho quero também inspirar os descendentes de Virginia e José Francisco (filhos, netos, bisnetos...) para que realizem pesquisas futuras: acredito que o conhecimento nada mais é que transformação. Nada surge de um acaso. Acumulado e guardado só para si não gera frutos. Com o tempo se apaga da memória, morre para a vida. Todo o conhecimento é riqueza a ser compartilhada: quem dá, recebe sempre mais. Partilhá-lo é sinal de humildade, de todo o portador. Todo o conhecimento conquistado com dedicação e talento precisa ser compartilhado. É a nossa maior obrigação frente às futuras gerações e à história da Humanidade. 

Este blog é a certidão de nosso nascimento.

 É garantia de continuidade. 

É preservação da identidade de cada um. 


Sejam Bem-Vindos!!!


Isabel Cristina Pitz Espíndola
Neta de José Francisco Pitz e Virgínia Schmitz Pitz

2 comentários:

  1. Sou da família Schmitz e meu avô era de São Pedro de Alcântara- José Ricardo Schmitz casado com Filomena Schweitzer. Posso ajudar em algo?
    Att.
    Russel José Schmitz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hallo Russel. Você pode enviar fotografias com datas, locais e nomes para o email belpitz@gmail.com. Você é filho/neto de quem? Grüße

      Excluir